Nosso sucesso no Marketing Digital e especificamente das estratégias SEO, está na mãos dos Robos

Nosso sucesso no Marketing Digital e especificamente das estratégias SEO, está na mãos dos Robos

Quando a WEB surgiu, logo houve uma explosão de sites disponíveis. Todos os dias surgiam às centenas, aos milhares.

Logo se percebeu a necessidade de se criar algumas forma de indexação do conteúdo existente. Começaram a surgir os diretórios. Grandes websites com segmentação de mercado, catalogando milhares de sites, classificando-os e dispondo ao acesso dos internautas por ordem de assunto.

Podemos ver na imagem a seguir um dos primeiros destes diretórios. No diretório do Yahoo as informações estavam dispostas por segmento de atuação e mercado. Os diversos sites catalogados eram apresentados de uma forma organizada por este critério



Mas a web não parava de crescer e estes mecanismos começaram a ficar obsoletos. Passaram a não mais acompanhar o avanço da rede.

Foi então que as empresas que já operavam índices na internet começaram a apostar um uma forma de levantamento e classificação de sites baseado no conceito de palavras chave ou termos que estariam presentes em suas páginas.

Foram desenvolvidos os primeiros programas a serem chamados de robôs ou crawlers, que varriam a web lendo os sites com uma velocidade extremamente superior a que os humanos faziam antes.

Outro problema que os robôs “pareciam” começar a resolver era a questão da fidelidade da página com a classificação de conteúdo que lhe era dada. Por quê isso? Porque antes quem classificava o site nos diretórios era em muitos casos os próprios administradores dos sites. Isso era comum devido ao já grande volume de sites. A autoavaliação gerava muitas vezes uma distorção quanto ao grau de relevância e veracidade das informações.

Porém, estes novos métodos automáticos utilizados ainda falhavam na tarefa de atribuir relevância ao que era encontrado. Basicamente utilizavam um fator que era a quantidade de vezes que uma palavra chave ou termo estava presente em uma página para atribuir uma ordenação de resultados.

Causavam assim uma série de infortúnios a quem estivesse realizando as pesquisas porque muitas vezes o resultado de sua busca e os sites apresentados não representavam de fato o universo que estava pesquisando.

O Google surgiu (1998), criado por Larry Page e Sergey Brin, com uma ideia de motor de busca que elencaria outros fatores para atribuir relevância, sobretudo o conceito de pagerank, que se baseava em um estudo de relacionamento entre páginas. Links de uma página para outra, ou backlinks.

Imediatamente a qualidade dos resultados melhoraram substancialmente e isso fez o Google decolar como o buscador mais acessado.

Como a web incessantemente tem aumentado com o passar do tempo, iniciamos a era do reinado dos motores de busca e indexação. Virando nos dias atuais verdadeiros oráculos.

Hoje inequivocamente o fluxo de visitantes nos websites provém majoritariamente dos buscadores de internet. Veja nosso post sobre o que importa aos mecanismos de busca e que devem orientar deste o principio nossas estratégia de Marketing Digital, Há as campanhas publicitárias pagas e outras ações que geram visitantes e também são muito importantes, mas o tráfego gerado pelos buscadores além de ter alta qualidade é “gratuito”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Marketing Digital x e-Commerce

Por quê o website é tão importante para um Corretor de Imóveis ou imobiliária?

Nomes de domínio – evite os erros mais comuns